Lá fora…

Lá fora, chovem pérolas de água a um ritmo musical!

Cá dentro, apenas caem no abismo notas musicais entrelaçadas.

Num confortável encosto e fumando uma música enrolada numa partitura, penso…sobre quê não sei, mas penso…qual o interesse em saber sobre o que penso?

Ainda não me considero auto-suficiente para pensar livremente, no entanto, já não me preocupo sobre o que penso.

O meu interior é um armário de colecção de sofrimentos…uns vividos, outros sentidos, outros imaginados. Procuro nele um sofrimento especial. Além de eu o ter bem organizado (os sofrimentos dispostos por ordem cronológica, temática, etc), não consigo encontrar o que procuro. Aliás, não me recordo do lugar onde se encontrava, a data, o tema…Mas, eu sei que ele existe, que existiu, eu sei que ele estava lá, eu lembro-me de tê-lo aconchegado para mim e, depois de já ter sofrido o suficiente, acolhê-lo no meu armário.

Estranho, mas não desconhecido…

Advertisements

About this entry