O Monstrinho Curiosidade

No interior de alguém vive o pequeno e negro monstrinho da Curiosidade. Espreita pelos olhos de cada um de nós, espera ao nosso ouvido para de algum segredo saber ou escutar. Remexe no nosso estômago para que o mais rapidamente nos lancemos à descoberta, na perigosa aventura do nada saber mas tudo ter que compreender e todo o saber alcançarmos.

O Mostrinho Curiosidade, remexe, corre, salta e vive da pura e forte excitação do novo e incógnito. Ah como ela nos manipula, como ela controlo tão grande cérebro com a simples vontade do tudo querer saber. De tudo quer saber pela falta de importância ela sentir. É negra e vive nos recantos escuros do nosso corpo, mas como algumas almas corrompe. Almas que apenas vivem para de tudo saber sem nada fazer. Mas o monstrinho não as deixa pois ele com todo o seu poder de um forte Deus lhe mostra o seu desgostoso e asqueroso interior. Todos ficamos a olhar as nossas vísceras.  Como se uma obra de arte e um monstro se unissem. Querendo desviar olhar continuamos a olhar pois este pequeno animal que vive dentro de nós nos controla para poder compreender, ela quer saber o que temos lá dentro. Pois mesmo vivendo no nosso interior, o qual conhece ao detalhe mais feio e mais belo. Quer compreender. Quer Saber.

Nada mais que Saber. Nos controla com marionetas.

Nos controla como utensílios. Mas muitos são inúteis e sem cor isto vivem.

Sem curiosidade se empurram sem saber onde estão, sem saber o que são.

Até o monstrinho se apoderar de novo deles e lhes mostrar um espelho.

Onde nele verão as suas vísceras cair do seu abdómen. E a ilusão cairá.

Vendo que feios e disformes o foram e serão sem a curiosidade

Delgada e inquieta Curiosidade!

Lázaro  Huginn
Advertisements

About this entry