A magia de tornar Nada em Algo

Podes achar que vês nada, uma página em branco. Bem, tenho a afirmar que és cego.

És cego, não és capaz de ver neste preto o que nele existe. Tanta arte, tanto bom e tanta genialidade.
Deixas-te de me ver e julgas nada mais haver em mim que esta página preta.

Apenas tens que saber o que seleccionar. Ah, agora vês-me, escondido por entre as sombras, sim por escolha minha fico por aqui. Aprende a ver, a olhar, porque todos vós são cegos. São como burros que olham somente em frente, e mesmo esse caminho apenas o seguem porque vos colocam uma cenoura em frente, mas há tantos pastos verdes e ricos mesmo debaixo dos vossos pés, pés que os pisam como se nada valesse. Por vezes o solo é a fonte de vida e a vida caminha em cima dele. Cegos, que ainda não vêem nada em frente a seus olhos. Querem apenas a cenoura podre que apenas lhes dará sustento por um curto momento. Mas o solo, alimentar-te-á por uma vida se o cultivares. Não sejas mais um parvo e cultiva o bom que tens antes que a busca pela cenoura seja a seca que empobrece o solo…

Aníbal Treva Negrão

Advertisements

About this entry