Negro Negrão

As palavras, as letras, seja lá o que forem, textos, poemas, obras de arte ou puro esterco, seja lá o que for que sai hoje para escrita é seja lá o que for, pois tal como este ser aqui hoje não é nada. Absoluto zero, inerte imobilizado e parado, anulando os desejos de violência, ferocidade na sua tão morta e espancada alma, afogada na água do choro do sofrer dos outros.

Chagas de sangue e dor, mas pensem não em ter empatia ou compaixão, porque este ser é já e nunca mais humano.

Abatido ou pisado, ele levanta-se sempre, não se eleva pois não há motivo para tal. Para quê subir quando o mundo vem em queda ter com ele mais cedo ou tarde. Ele nunca subiu. Talvez algumas pessoas desceram ao submundo, às masmorras onde ele sempre esteve aprisionando, contido como o cerne da fantasia, da alegria e felicidade, esquecido nas grutas e cavernas da bagagem sentimental de quem o viu, nem que apenas uma vez. Este ser está preso. Raramente, mas mesmo só se a pessoa for merecedora, este ser grita!! Sua voz já não existe, é meramente um rápido som que se esquece pela imensidão das masmorras.

 A mecânica de cada corpo, de cada alma, as peças de cada alma este ser sabe montar, construir e até reparar.

Que mecânico, carpinteiro, pintor e desentupidor, sujo e porco muitas vezes de tanto limpar chega até a ser ele mesmo o monstro e a porcaria por se encontrar repleto dela quase todos os dias…

Esperem! Isto não existe! É como me dizem, todo da minha cabeça… Já estou em demência outra vez.
Sem dimensão, sem compaixão, sem presença, MORTO!!! Esquecido! Afogado! Quiçá perdido? Destemido, diria eu…

Negro negrão é a sua pele e os seus olhos, ofuscados pela tua e sua escuridão reflectida na sua retina, a menina perdida na sua vista, na sua imaginação ou será mesmo no coração ou na invenção de sentimentos para com ele que este ser se perde para sempre no labirinto com centauros e minotauros. Negro negrão deixa-o na sua perdição, afogado na maldição e cruz que carrega para fazer jus ao seu apelidado destino sem fim, perdido e esquecido para as sombras.

Negro negro negro negro neeegrão fica longe do meu coração. Ascende e leva para as masmorras esta minha escuridão que me persegue sem fim. Leva para ti, assim a tua palma tem espaço e força para a conter longe da minha alma! Negro negrão!

Reza esta oração para que o Negro te possa salvar e salvaguardar a alma.

Aníbal Treva Negrão

Advertisements

About this entry