solum Estesser

Ah como as pessoas teriam medo se me ouvissem pensar
Como elas fugiriam ainda mais rápido de mim.
Ah como seria eu, visto como um vidente
Recusado pela fada, a madrinha dos dentes.
Eu, este ser tao tosco e tao ciente
Perdido na sua cabeça pelo ver dos dementes,
Pensamentos de sempre, de antigamente, pensar sem fim.
Ah o que seria de mim, sem tudo isto, sem esta cabeça
Este bicho-monstro com sete ou mais cabeças
Veriam eles que meu sou, e mudariam como são.
Eu diria que não é tarde agora para mudares,
Porque se havia tempo para amares
O barco naufragou na direcção de amares.
E eu sou quem te conhece e tu me desconheces
E neste momento nada me peças,
Porque eu nem sou pessoa e muito menos eça.
Sou uma tragédia, com comédia,
Uma obra, uma peça, um musical.
Sou uma pintura sem sal,
Sou do mar o seu sal,
Sou tempo e espaço,
Sou só um pedaço,
Um pouco que conhecias, um todo que pedias.
Para eu ser o que desejavas e para mim mal falavas,
Dentro de mim procuravas o que querias para ti
E deixavas ao lado que eu era.
Isto foi tudo noutra era…
Isto e eu já era!

Advertisements

About this entry