Poesiaemdia: III – Trio

Mas a vezes vou lá eu visitar
E, para me irritar, está lá ela a falar
A conversar com a Júlia
Neste terceiro dia,
E sabem o que por aí se diz
Dois é companhia, três é uma multidão
Eu sou o juíz de que isto é verdade
Não é hoje o dia um, a mentir
Ela, tal como eu, tem a chave
E deixa sempre a sua moderna nave
Esta senhora maldição
É educada, tem deveras educação

Dois é companhia, três é multidão
Dois lá eu via, o monstro e a Maldição
Pois que belo diria, ela na sua paixão
Sois um casal sem via, perdidos então

Vou para casa, para a realidade
Já não tenho idade para ser vela
Vou deixar o monstro com ela!

Ernesto Guerrero
Advertisements

About this entry