Poesiaemdia: XI – Adama e Alma

Este rapaz chamado Manuel Capaz,
dizia-se incapaz de a caravela alcançar,
Ah e como ele queria navegar…
Vive na caravela pelo mar,
dirigido por ventos e correntes,
um acompanhante de marés.
Ele dizia “Manuel, capaz não és”,
se forte em teus pés quando sem terra longe
de qualquer montanha ou serra.
Porque no mar é tudo fluido em dança,
e sem tais movimentos teu pé
não alcança e eles te dizem ter esperança.
Vive como em criança, curioso e descobridor
capitão capaz assim serás nobre navegador descobridor.

Caravela alma em teu bolso ou palma
podes viver sem dor adamastor
pois este navegador haverá de encontrar
a tua embarcação perdida.
Mesmo que submersa ela nesta peça
será sempre bela e tu junto com ela
Habitarás recifes
cultivando Estrelas-do-mar
e ela a elegante caravela
se transformará na senhora do mar,
a lua que comanda correntes.
Seu cabelo dança como ondas no oceano
um tecido quase vivo de pano
tão comprido alcança
os seus delicados calcanhares
E sempre ondula essa cor e grafia
que para todo o sempre perdura
entrelaçando o adamastor
trazendo a sua cura.
As suas gemas, agora jóias da Alma
Jóias e gemas abençoadas.
Poderosas pedras com as mais belas feras,
casulos de antigas criaturas do oceano
familiares dos dois protectores do oceano
Alma e Adamastor

Manuel Arnês Vela
Advertisements

About this entry