Poesiaemdia: XVII

“Talvez só mas nunca mal-acompanhado”

Qual o mal de me sentir sozinho?
Qual o problema de ser solitário?
Qual a relação de tudo isto com negativismo?
Porque sozinho posso desaparecer,
E acompanhado apenas sou apanhado
Contido e materializado
Um corpo sem mecanismo.
Acompanhado de todos mas sozinho por dentro
Sempre e nunca com companheiro
Um homem que não mais é que guerreiro
Nunca um pessimista, um lobo solitário
Que deixou e agora parou de acreditar
Nas invenções de não-problemas
Mas reparem que neste ser a palavra “solitário”
Rima e sempre será conjunto a outra palavra “solidário”

Advertisements

About this entry