Poesiaemdia: XXVIII – Aclaração

Não estou a habituado a ter isso
Porque eu me pergunto, de dia a dia
Qual foi o minuto, hora ou dia
Que uma alma se preocuparia,
Na simples acção, pelo meu estado ou estação
Sem qualquer segunda ou terceira intenção
Quando posso dou às pessoas a sua merecida,
Aquela importante simples atenção
O simples momento de ouvir
Estar ali, dar à pessoa o instante de importância
Sem qualquer outra distância
Ali para a pessoa, apenas, somente a pessoa
Seja ela qual for, esteja eu em dor
Dou de mim o que posso assim
Mas de mim mais pedem até ao fim
Que farei eu? Abdicar da minha essência
Para vos dar alegria ou usar a minha paciência
Para vos dar risos e compreensão
Ombro amigo e preocupação
É isto que eu interpreto, Senhora

Adamastor Salazar Escudete: "Adma"
Advertisements

About this entry