Amoradia

Sempre quis morar no teu coração
Ansiava por tal cor e som eu habitar.
Da forma que tua pela é suave e teu toque carinhoso
Tenho certeza que o coração é macio e eu só quero a chave
Caminhar para entrar, coabitar nele com tua emoção
E quando o colesterol e gordura se agarrar na habitação
Eu pegarei na minha caixa de ferramentas,
De espátula, martelo e picareta vou tirar
Tal gordura dele, teu vermelho coração
E deixar que nele sempre a arda essa chama

Não faço isto por qualquer fama
Quero que teu motor de amor
Que teu engenho de vida
Não pare de funcionar por qualquer ferida
E tu que me és minha querida
Me dês um lugar no coração para morar
Podes mesmo cobrar renda ou aluguer
Pois eu para teu coração salvaguardar
Até moro nas veias de tal cidade
Farei dos esgotos e ruas o que puder

Esse coração pode deixar de me amar
Não, não quero nunca vê-lo parar
Nem que eu me torne o mecânico
O Ferreiro que o conserta
Plantando uma ou outra árvore,
Ele não merece a terra deserta
Trabalharei 24 horas por dia, 7 dias semana
Todo o ano dentro desse suculento e vivo coração

Não temas te esquecer de mim
Eu vou morar em teu coração
Para o fazer continuar em tom
Esse batimento de melodia esse “Pum Pum” som
Será a minha última moradia
Será a minha última acção
Manter esse coração a bater!

Estranhoamor
Advertisements

About this entry