Ecdise

Sinto-me um estranho no meu corpo,
com mãos não familiares sentidos irregulares,
esta pele sem nada por amanho, sua cor pálida
desprovida de mim mas por outro bem mantida.
Não é fadiga nem nada de ferida
mas esta pele é de outrem

Esta muda constante que me descasca
muda quem eu sou tal como a casca
nada mais que carne, sangue em envelope
Embrulho do corpo e carcaça
corpo que aguarda, espera
tempo pela sua libertação
ou procura acomodação
em casa novo papel de pele
umas coradas outra morenas
mais vezes a cultura de mel

Nessa pele vêem pousar abelhas
Viver nela em viva e mexida colmeia
resistente como rocha
uma colmeia de plasticina
nada de borracha
simples pele que esfola
a cada estação se descola.
rasga e desfaz para nova
uma simples ova…

Egasjörg

 

Advertisements

About this entry