Ar-te-a-mar

“Venho ver como em arte, em mim e em parte
Tua beleza de natureza, Forte e coesa
Mais que uma gema, um ecossistema…
Em forma, nada tema, é arte de pomar
Em mar e até além deste entrelaçar
Venho nada mais que admirar
Observar, teu corpo de adorno
Tua fúria de sobreviver em ardente forno
Me faz olhar, é de cativar… este meu olhar
Adorar de mar, este meu olhar
A focar o teu ser, e esperança ter…
Esperar te beijar por entre ondular
Ventos e tempestades, vivem nesta cidade

Há em ti, uma enorme natureza, toda a força da natureza,
Habita teu corpo e animo, cria em ti uma beleza de dureza
Forte a coesa, mais que uma gema, és um ecossistema….
Inato em inteligência, tua mente, é tão elegante quanto teu corpo
Em formas e curvas, simples mas deslumbrantes com contracurvas
Minha voz entre ruelas entoa
Para dizer, exclamar, proclamar.
Clamor entre teu calor, a laço do amor
Este poema que te venho declarar!”

E se eu penso que tu és a mais bela mulher que eu alguma vez vi
Nada mais que pura e dura beleza, há em ti…
Robusta e corajosa, sobrevivente em permanente
Pedra, não fria mas preciosa, diamante
Forte, em porte e em transporte, és deusa da natureza
Espero tocar em teu querido colar, num dia de luar
Simplesmente te beijar na face, é demais enlace
por mim merecido, e até um pouco temido
Sou perdido, e dorido, em emoção e forte em paixão
Adoro teu coração e tua compaixão
Seja ela por mim ou por ambiente
Eu sou pendente, pêndulo de tempo em teu carinho
Sou um animal ferido, que vive na selva
Mas não é acaso que vives em vedras
E torres são fortes construções de pedras
Fortes, de resistência, tal como tu e tua viva persistência

E se eu penso que tu és a mais forte mulher que alguma vez conheci
Nada, nem ninguem, vejo que tenha esquecido
A elegancia que tens, não te olhar é tudo o que perdi
Pelo mar quero agora velejar e novamente tua cara bela avistar
Quer seja sobre o horizonte ou sobre uma ponte….
Neste mar continuo a navegar e quando o meu olhar
Foca tua alma, avista mais que terra entre mar
Mais que porto em Portugal avista, a-mar
Mar a alem-mar…

Manuel Vela

Advertisements

About this entry