A Rítmia



A Rítmia!
Fólio I: Benedita: Cor e grafia

No canto da sala estava uma rapariga, melhor uma mulher… bem um pouco das duas coisas. Com belo cor de noz esbelta e delicada. Ela olhava os seus ténis procurando a ponta do seu cordão que estava desapertado a musica permanecia em melodia no seu espaço mas ela imóvel olhava o chão para não pisar o cordão e tropeçar. No meio do som o seu corpo belo tinha parado, estagnado e dessincronizado do mundo do som…

Ela se baixava dobrando as suas costas deixando ver se seu loiro cabelo dançar, somente ele, ao som da melodia…

Dourado em noz, o seu brilho como a única a luz na sala, a mulher na realidade estava no escuro! Tudo escuro com uma única luz de presença, a presença música na sala. Agora de joelho apoiado no chão a menina apertava o cordão renegando o seu envolvente terreno. Negligência por qualquer coisa, ou pessoa, ela sentia a música na sua alma… como um par de dança a balançar o seu sentir. A fazer compasso para o seu viver. A Dançar o tango da paixão carnal e tentadora. O último nó era apertado para atar os cordões, os atacadores que davam firmeza e segurança aos pés para os passos de arritmia, passo de cor e grafia. Quando não é que Benedita acorda em seu lençois, em sua cama… Era um sonho… Ela abria agora os olhos para o ainda meio acordado dia, a luz era ténue e fraca o sol levantara-se a pouco. Ela esta na sua cama, no seus lençóis pretos de seda.
O seu corpo ainda mole e lento ainda presente nos movimentos da dança sonhada… mas a música tinha fugido… saído dali pois na manha não havia som nenhum

(uma dança que se estende no tempo)

Moto-Contínuo – Dança Belmorte



Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s


About

This is an excess of  imagination and a lake of reason and motivation to really make of that something of relative importance. So to try and act against  that we create this “chauvinism”, the strong idea that life is not only what we think is similar to yours. We dispose of the idea of similar and equal to our Carbon make up. Do not think you know how life works and is, simply because you lived and experienced? You only lived and experienced one type of it!! And that experience was in abundance alter and conducted in your-own person defects and previews of others. Your view is only one and in a whole world weights noting more than a feather compared to a planet. Live to know fallitur visio.